Necessidade de capital de giro (NCG): O que é, como calcular e dicas!

Capital de Giro

Você sabe diferenciar o que é capital de giro de necessidade de capital de giro?

Normalmente esses termos se confundem, mas possuem óticas totalmente diferentes. Saber diferenciá-los é extremamente importante para fazer a aplicação correta do cálculo.

O capital de giro é constantemente citado sob o ponto de vista contábil, definido pela equação “Ativo Circulante – Passivo Circulante”, mas para a gestão financeira esse tema tem um significado diferente.

Sob a perspectiva financeira, fala-se sobre o dinheiro necessário para que os empreendedores possam pagar os gastos correntes de suas operações enquanto o dinheiro das vendas ainda não entraram no caixa.

Simples, não é? Hoje iremos falar sobre a necessidade de capital de giro. Acompanhe o post e aprenda como usar esse recurso para manter o funcionamento saudável de suas operações, de forma simples e prática.

O que é necessidade de capital de giro?

Necessidade de capital de giro é o valor que uma empresa precisa ter reservado para pagar todos os seus gastos, até que o dinheiro de seus clientes entre no caixa ou no banco.

Em outras palavras, é o valor necessário para garantir o fluxo de caixa. Veja algumas situações que podem comprometer o capital de giro da sua empresa:

  • Não ter retorno rápido do investimento feito em estoque;
  • Não manejar bem o período de financiamento ao cliente (venda à prazo).
  • Não havendo vendas, as despesas permanecem;

Lembre-se: dificilmente há sincronia entre recebimentos e pagamentos. É normal que os prazos não coincidam.

Por que devemos medir a NCG?

Realizar os pagamentos em dia permite que as operações mantenham o seu fluxo normal. A produção não irá parar por falta de insumos, os impostos serão pagos e não haverá problema com a receita etc.

Recorrer ao banco para isso é ter que arcar com valores altos de juros. Não é interessante contrair este tipo de dívidas a todo momento. 

Uma boa gestão do capital de giro representa economia de dinheiro. Apostar nessa prática permite o empresário se manter no prazo em que o dinheiro das transações realizadas ainda não se consolidaram.

Assim, a empresa conseguirá trabalhar tranquilamente, podendo oferecer até mesmo um tempo maior de pagamento aos clientes, o que lhe dará um diferencial e benefícios como:

  • Economia de dinheiro;
  • Fluxo normal das operações;
  • Melhor liquidez;
  • Prazo de pagamento maior aos clientes;
  • Melhor perfil de crédito nos bancos.

Como calcular?

Cálculo Necessidade de Capital de Giro

Para maior assertividade da necessidade do capital de giro, é importante ter em mãos um controle financeiro eficiente. Dessa forma, chegará ao valor mínimo que seu caixa deverá ter em um determinado período. Veja abaixo como calcular:

Fórmula para calcular a necessidade de capital de giro

NCG = (Gasto diário x prazos) + Estoque

Gasto diário = Gasto fixo + Gasto variável / dias do mês

Prazos = prazo de recebimento – prazo de pagamento

Dicas:

  • O gasto variável é realizado por estimativa;
  • Deve ser realizado o prazo médio de recebimento e de pagamento. Exemplo: venda a prazo com recebimento de 30 e 60 dias, o prazo médio é de 45 dias.
  • O estoque é o valor que deverá ser investido para o período.

Aplicação da fórmula

Gasto Fixo: R$ 3.000,00

Gasto Variável: R$ 1.500,00

Estoque: R$ 1.000,00

Prazo médio de recebimento: 10 dias

Prazo médio de pagamento 5 dias

Período: 30 dias

NCG = ((R$ 3.000,00 + R$ 1.500,00) / 30) * (10 – 5) + R$ 1.000,00

NCG = (R$ 150,00 * 5) + R$ 1.000,00

NCG = R$ 1.750,00

Diferentes exemplos do uso de capital de giro

Veja abaixo alguns exemplos que ajudam a entender esse conceito.

Exemplo 1

Imagine uma loja de móveis que trabalhe sob encomendas. Nela, o único gasto seria o custo do produto vendido, também conhecido pela sigla CMV, e mais nada. O cliente faz um pedido, você verifica o preço e cobra R$ 200,00. O cliente paga à vista, em dinheiro. 

Em seguida, você manda o pedido para o fornecedor, e em instantes chega o entregador com o produto. Ele lhe cobra R$120,00 por tudo, valor esse que inclui o produto, o imposto e a taxa de frete. Você pega a parte do dinheiro que acabou de receber do cliente e paga para ele. 

Mas afinal, quanto de capital de giro foi necessário para esta transação? Nenhum. Você não precisou ter nenhuma reserva em dinheiro. Tudo o que foi pago pelo produto, veio do próprio cliente.

Exemplo 2

Suponha que este mesmo cliente lhe pague R$100,00 à vista, e o restante pague no cartão de crédito. Pergunta: quanto de capital de giro é necessário nesta situação? Resposta: R$ 20,00. 

Observe: os R$100,00 que você pagou ao fornecedor, veio do seu cliente. E os outros R$ 20,00 para complementar o que você teria que pagar a ele, veio do seu capital de giro. 

Outra pergunta: por quanto tempo? Resposta: um mês, pois é o tempo que vai levar o cartão de crédito para cair na conta.          

Dicas para prevenir a insuficiência do capital de giro

  1. Tenha um controle de inadimplência;
  2. Faça uma reserva para imprevistos e momentos sazonais;
  3. Negocie prazos de pagamentos;
  4. Acompanhe de perto o controle financeiro;
  5. Tenha conhecimento do fluxo de caixa;
  6. Estimule pagamentos à vista através da oferta de descontos.

Preparado para calcular a necessidade de capital de giro? 

Como você pôde perceber, administrar a necessidade de capital de giro significa uma tarefa constante de análise de curto a longo prazo. Uma administração eficiente significa estar atento a fatores como compras, vendas e  administração do caixa.

Você, que quer economizar e ter as contas mais enxutas, não deve tornar um hábito a busca pelo capital de terceiros. Afinal, empréstimos e financiamentos têm taxas altas que podem inviabilizar seu negócio. 

Usar recursos próprios para o autofinanciamento das atividades financeiras é a solução para um desenvolvimento sustentável das suas finanças.

Confira também o nosso vídeo sobre Capital de Giro!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.