Plano de contas: o que é, como fazer e modelo completo!

Plano de contas

Para se obter um bom controle financeiro é importante compreender o que é um plano de contas e como essa ferramenta pode impactar na análise dos relatórios gerenciais da organização. 

Através do plano de contas é possível padronizar as informações disponíveis de caixa para classificar futuros lançamentos e assim, estruturar os registros de entradas (receita) e saídas (gastos). Uma prática essencial para entender a saúde financeira da empresa é elaborar um plano de contas eficiente.

Se você precisa entender a importância de um um plano de contas e como elaborá-lo, veja neste artigo exemplos para construir um modelo ideal para o seu negócio!

O que é plano de contas? 

Trata-se de uma padronização do conjunto de contas que compõem as operações da empresa. Isto é, a classificação das entradas e saídas de caixa utilizando uma nomenclatura comum toda vez que ocorrer um desembolso ou a entrada de recurso financeiro.

Como exemplo, vamos olhar a conta de energia elétrica. Ela pode ser chamada de luz, eletricidade ou até mesmo energia elétrica. Quando você como gestor define a nomenclatura dessa conta, deve-se levar em consideração a clareza de tal classificação para que se torne um padrão para os próximos lançamentos.

E assim, toda vez que houver a saída de dinheiro do caixa para o pagamento da conta de luz, então deve ser registrado na sua ferramenta de controle, e posteriormente, ao analisar os relatórios financeiros é possível tomar uma decisão em virtude dos registros realizados dentro do período analisado.

O plano de contas é fundamental para compreender todas as movimentações financeiras da empresa que precisam ser registradas e classificadas para facilitar a identificação das contas e a disposição das receitas.

Pra que serve?

O plano de contas é fundamental para organizar a classificação do fluxo de entrada e saída de dinheiro de um negócio. Com ele, o gestor consegue entender melhor o que acontece no lado operacional e não operacional de sua empresa. 

Dessa forma, você como gestor consegue interpretar os resultados da organização, entender o fluxo de caixa  e então, realizar projeções financeiras para tomada de decisão.

O plano de contas é uma ferramenta indispensável para a interpretação dos registros de entrada e saída em um período específico. 

Como elaborar? 

Apesar de ser elaborado de acordo com as necessidades específicas de cada empresa, o plano de contas possui uma estrutura padrão e deve ser elaborado com informações claras para o auxiliar na leitura dos relatórios. Existem alguns modelos que podem facilitar a criação do plano de contas ideal ao seu negócio. 

Veremos a seguir alguns tipos de plano de contas. São eles: Gerencial, referencial e contábil e a estrutura de cada modelo. 

Estrutura

A estrutura de um plano de contas vai permear toda a gestão financeira.  Se o plano de contas vai nomear tudo que envolve dinheiro na empresa, a estrutura deve ser basicamente em duas contas:

  • Contas de entrada (que trazem dinheiro para empresa)
  • Contas de saída (que retiram dinheiro do caixa). Além disso, essas contas também podem ser divididas em operacionais e não operacionais.

As contas operacionais são as contas que movimentam dinheiro relacionado à atividade fim do negócio, ou seja, vendas, produção ou prestação de serviço. Toda receita ou desembolso gerado em função do negócio fazem parte do operacional.

Já as contas não operacionais são aquelas que também geram receita ou gastos que não estão relacionados à atividade fim da empresa. Como exemplo, o recebimento de empréstimo ou a venda de um imobilizado são fontes de entradas não operacionais.

Para continuar construindo a estrutura de um plano de contas, pode-se subdividir as saídas operacionais em fixas e variáveis. Isto é, os gastos variáveis são aqueles que variam de acordo com o nível de venda, produção ou prestação de serviço, e os fixos são aqueles que ocorrem independente do número de vendas ou produção. 

Em geral, do ponto de vista financeiro, pode-se dividir o plano de contas de acordo com as seguintes categorias:

Plano de contas Gerencial

O plano de contas gerencial é usado para trazer informações organizadas dos dados financeiros da empresa. Nesse modelo é possível definir as contas que fazem sentido para as análises que pretende extrair.

Não é necessário construir uma estrutura pautada em normas como acontece com o modelo contábil, o plano de contas gerencial é adaptável e sua principal função é auxiliar a tomada de decisão, logo, varia de acordo com as necessidades de cada empresa.

Plano de contas Contábil

Exemplo de plano de contas contábil

Esse modelo é construído seguindo os requisitos da legislação contábil (Lei 6.404/76 e Lei 11.638/07). Deve conter os códigos que compõem a sua estrutura e a qual grupo pertence (ativos, passivos, despesas ou receitas).

Dentro de cada grupo, existem os subgrupos ou subcategorias. O modelo contábil é utilizado como base para evidenciar o balanço patrimonial da empresa, sendo mais utilizado para atender as regulamentações legais e não para tomada de decisão, nesse caso, geralmente é mais utilizado o plano de contas gerencial. 

Apesar de não possuir uma estrutura padrão, o plano de contas contábil segue os principais grupos:

  1. Ativo;
  2. Passivo;
  3. Custos;
  4. Despesas;
  5. Receitas.

Plano de Contas Referencial

O plano de contas referencial foi formulado pela Receita Federal do Brasil com o propósito de padronizar as classificações das contas ao informarem seus saldos contábeis quando realizado as entregas das informações de acordo com a Escrituração Contábil Fiscal (ECF). 

Esse padrão estipulado pela Receita Federal do Brasil é empregado para realizar os lançamentos no Sistema Público de Escrituração Digital (SPED). Se a empresa utiliza outro modelo de plano de contas, ao inserir as informações deve-se fazer um “De/Para” o modelo referencial.

Dicas

É importante saber diferenciar e classificar os gastos e os recebíveis da empresa. Os lançamentos classificados de forma errada pode gerar impactos negativos ao realizar as análises financeiras, para isso, separamos algumas dicas para lhe orientar ao criar um plano de contas ideal para o seu negócio:

  • Defina uma nomenclatura comum as contas para padronizá-las; 
  • Toda vez que ocorrer uma saída ou entrada financeira lembre-se de registrá-la com a nomenclatura padronizada, isso facilitará na leitura dos relatórios financeiros;
  • Crie um plano de contas que facilite a visualização dos resultados da sua empresa, afinal, a estrutura do plano de contas é criada de acordo com a especificidade de cada empresa;
  •  Tenha um sistema de gestão que possa auxiliar na estrutura, registro  e análise de um plano de contas.

Concluindo…

Você já deve ter notado a importância de uma padronização para criar um plano de contas eficiente. Através dele, você enxergará onde estão os gargalos ao realizar as análises e quais contas merecem sua atenção para tomar decisões. 

Não é possível organizar seu plano de contas sem que haja um bom controle financeiro. É imprescindível saber organizar e acompanhar todas as movimentações financeiras para  evitar prejuízos e assim, averiguar se os resultados do período estão de acordo com o planejado.

A H4money oferece um modo de manejar o plano de contas simplificado, com agilidade para criar e alterar categorias. Teste já!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.