DRE – Demonstração do resultado do exercício: o que é e como fazer?

DRE-demonstração de resultados do exercício

O DRE – Demonstrativo do resultado do exercício, é uma ferramenta importantíssima para enxergar os resultados financeiros da sua empresa. Através das informações fornecidas neste relatório, você, como gestor, poderá avaliar se o negócio está apresentando lucro ou prejuízo em um determinado período.

Neste artigo será apresentado o que é o DRE, sua principal funcionalidade e como estruturar cada elemento do relatório. Continue lendo esse post para entender como esse documento financeiro é relevante para o seu empreendimento. 

Neste artigo será apresentado o que é o DRE, sua principal funcionalidade e como estruturar cada elemento do relatório. Continue lendo esse post para entender como esse documento financeiro é relevante para o seu empreendimento. 

O que é DRE?

Como mencionado, trata-se de um demonstrativo do resultado do exercício, isto é, uma exposição dos rendimentos financeiros, detalhados, que permite avaliar o desempenho das atividades funcionais de uma organização. Esse relatório evidencia se durante um dado período a empresa apresentou lucro ou prejuízo, comprovando a saúde financeira da empresa. 

Geralmente, este documento é formulado uma vez ao ano, executado após o fim do exercício financeiro (inicia-se em 01 de janeiro e finaliza em 31 de dezembro), esmiuçando todos os resultados das atividades operacionais e não operacionais, ou seja, traz informações sobre receitas, investimentos, custos, nível de endividamento, lucro e margem da operação.

Para fins de controle caixa, é comum elaborar o relatório mensal, trimestral ou semestralmente para que o gestor avalie em um curto prazo os rendimentos do período analisado e consiga compará-los aos resultados anteriores e mensurar se o negócio está em evolução.  

De acordo com a Lei 11.638/2007, o demonstrativo do resultado deve ser elaborado obrigatoriamente por todas as empresas, exceto aos microempreendedores individuais – MEI.

Para que serve o DRE?

O relatório não é apenas uma obrigação contábil. Usa-se as informações do demonstrativo para realizar análises gerenciais, sendo uma indispensável ferramenta de gestão. O relatório traz dados sobre o desempenho do caixa, servindo como fundamento para projeções financeiras futuras.

Através do Dre é possível reavaliar as estratégias da empresa, aferindo para amenizar os gastos e gerar melhores resultados financeiros.

Junto ao DRE, é essencial analisar também a estrutura do balanço patrimonial da empresa, que nada mais é que um relatório de gestão para averiguar a relação entre os ativos (bens e direitos) e passivos (obrigações) da empresa. Portanto, serve como uma balança para equilibrar os recursos que entram e saem do negócio, e assim, garantir um bom desempenho do negócio . 

Qual a estrutura do DRE?

O demonstrativo de resultado deve ser criado com base nas datas em que ocorreram os custos, despesas ou receitas. A organização de todas as informações financeiras durante o período analisado é essencial para extrair informações verídicas sobre a saúde da organização.

Para isso, é indispensável para o gestor utilizar uma ferramenta de gestão financeira que o auxilie na organização de todas as obrigações da empresa. 

As seguintes etapas devem ser seguidas para a execução do DRE:

  • Receita bruta com vendas ou serviços menos as deduções e impostos que resultará na receita líquida;
  • A próxima etapa é abater da receita líquida os custos associados à produção, venda de mercadorias ou preparação de um serviço, logo terá o lucro bruto;  
  •  A partir do lucro bruto são retirados os gastos operacionais e administrativos, para se obter o resultado do exercício, antes do imposto de renda de pessoa jurídica (IRPJ)  e da contribuição social sobre o lucro líquido (CSLL) que incidem sobre o faturamento;
  • Resultado líquido do exercício.
Demonstrativo de Resultados do Exercício
Receita Bruta
(-) Impostos incidentes sobre as vendas
=Receita Líquida
(-) Gastos Variáveis (custo com produtos vendidos ou serviços prestados)
=Lucro Bruto
(-) Gastos Fixos (Despesas gerais e administrativas)
= Lucro Operacional (resultado antes do IRPJ/CSLL)
(-) IRPJ e CSLL
= Resultado do Exercício: Lucro ou Prejuízo

Abaixo, veremos uma breve definição de cada objeto que compõe a estrutura da DRE: 


(+) Receita de Vendas 

São todos os recebimentos oriundos das vendas de mercadorias ou prestação de serviços realizados pela empresa.

(-) Deduções e impostos 

Representam as deduções dos impostos e descontos que incorrem sobre as vendas ou serviços, como ICMS, ISS, DAS, entre outros.

(=) Receita Líquida

Resultado operacional da receita bruta, menos as deduções. 

(-) Gastos  Variáveis

Com o resultado da receita líquida, deve-se abater agora os gastos classificados como custos, sejam custos de mercadorias vendidas ou custos dos serviços prestados. Isto é, são os gastos que foram investidos para produção ou venda de mercadorias ou para a realização de um serviço . 

(=) Lucro Bruto

Consiste no resultado da receita líquida, menos os custos.

(-) Gastos Fixos:

São os gastos que não estão relacionados à produção, venda de mercadoria ou serviços, ou seja, não são custos.  Classificamos como despesas os gastos relativos ao funcionamento das atividades operacionais, que podem ser despesas administrativas, despesas com venda, luz, entre outros.

(=)Lucro operacional

É o resultado bruto,  menos as despesas. 

(-) Tributos IRPJ e CSLL

Os tributos IRPJ (imposto de renda de pessoa jurídica) e CSLL (contribuição social sobre o lucro líquido) incidem sobre o lucro operacional, em outras palavras, eles variam de acordo com faturamento da empresa e não podem ser confundidos com os impostos cuja incidência se dá pela atividade fim da empresa. 

As organizações cuja tributação se enquadrem  no Simples Nacional ou no Lucro Presumido, os impostos de IRPJ e CSLL  já incidem sobre as vendas.

(=) Lucro Líquido

O lucro líquido é o resultado do exercício após todas as  deduções descritas no relatório. Com isso, será apresentado o lucro ou prejuízo que empresa obteve dentro do período.

Como realizar análise da DRE?

É necessário entender o que fazer com os dados que a demonstração de resultado fornece. É possível fazer análises práticas, fundamentando as tomadas de decisões. Pode-se observar os resultados através de dois métodos: Por meio da análise vertical ou horizontal.

Análise vertical da DRE

A análise vertical tem por objetivo apresentar o valor percentual de cada uma das contas como despesas, custos ou impostos, confrontando com o faturamento bruto. Através desta análise é possível identificar quais contas estão impactando para diminuir o lucro em um dado período e então, realizar os ajustes caso necessário.

Análise_vertical_da_DRE

Análise horizontal da DRE

Com a análise horizontal é possível entender a proporção das contas ao longo dos meses. Através desta análise, pode-se comparar os resultados em relação ao mês anterior, bem como acompanhar o desempenho das receitas, custos ou despesas. Caso identifique valores divergentes dos sucedidos, é plausível verificar os resultados com mais cuidado.  

Análise_horizontal_da_DRE


A importância da automatização na elaboração dos relatórios

A automatização dos processos é imprescindível para elaborar os relatórios com eficácia e garantir que todas as informações sejam lançadas corretamente. De igual modo, os lançamentos manuais podem demandar um tempo maior para serem realizados. Ao optar por uma ferramenta de gestão financeira  para o auxiliar na construção das informações para o relatório, sua empresa ganha mais tempo para as decisões estratégicas, além de minimizar possíveis falhas humana.

A H4money tem um sistema adequado para assessorar os empreendedores na elaboração dos resultados financeiros e facilitar a gestão do negócio. 

Gostou desse artigo? Preparamos um vídeo com mais informações sobre o tema.

Deixe um comentário